// Estudantes do Amazonas ganham prêmio com projeto que ajuda motociclistas

Estudantes do Amazonas ganham prêmio com projeto que ajuda motociclistas

23/11/2016 09:58
  • Estudantes do Amazonas ganham prêmio com projeto que ajuda motociclistas 1
  • Estudantes do Amazonas ganham prêmio com projeto que ajuda motociclistas 2
  • Estudantes do Amazonas ganham prêmio com projeto que ajuda motociclistas


Incentivar o uso de capacete e acelerar o processo de atendimento em casos de acidente com motociclista, bem como reduzir os índices de mortes no trânsito envolvendo esse tipo de veículo, são as principais propostas do Sistema de Proteção ao Motociclista (Siprom). O projeto criado pelos estudantes Lucas Teixeira, 17, Carlos Sousa, 17, e Felipe Silva, 17, foi o grande vencedor do Prêmio Aristóbulo Angelim, que reconhece práticas inovadoras e revolucionárias.

A premiação aconteceu no último dia 11, durante a 44ª edição do Seminário Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação para Gestão Pública (Secop), que ocorreu em Manaus, entre os dias 9 e 11. Os estudantes, que estudam no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), ficaram em primeiro lugar no ‘Desafio Secop 2016’. A iniciativa reuniu 25 alunos da rede pública do Estado com a missão de desenvolver soluções tecnológicas em benefício dos cidadãos.

Carlos Sousa explica que dentre as aplicações do Siprom, o motociclista só poderá ativar sua moto se estiver usando o capacete. “Nós criamos dois protótipos que se comunicam via radiofrequência. Um transmissor de sinal é implantado no capacete e o receptor de sinal junto à ignição da moto. Quando o motociclista coloca o capacete na cabeça o transmissor envia o sinal para o receptor que libera a ignição para que a moto seja ligada. Enquanto ele não colocar o capacete na cabeça, ela não liga”, contou.

O estudante garante que não há risco de o transmissor falhar na hora de enviar o sinal para o receptor porque estarão a uma distância relativamente pequena um do outro. E em caso de acidente, Carlos destaca que o sistema tem outra função que detecta automaticamente a ocorrência, acionando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e informando a localização.

“Para termos a comprovação do acidente é preciso que a moto seja tombada e o capacete sofrer impacto. Partindo dessa idéia é possível detectar o acidente e o local dele porque colocamos um sistema giroscópio na moto e um sensor de vibração no capacete que se comunica com o satélite mais próximo e este envia as informações de latitude e longitude para a central de emergência. Isso é muito útil para acidentes onde a vítima fica inconsciente ou quando é no local remoto”, frisou.

O estudante evidenciou que a equipe recebeu bastantes críticas construtivas no Secop. O objetivo do grupo agora é desenvolver as novas ideia para melhorar o projeto e buscar patrocínio para colocar o Sistema de Proteção ao Motociclista no mercado de trabalho e ajudar a sociedade como um todo. “A ficha ainda não caiu. Esse foi o primeiro prêmio a nível nacional que ganhamos. Ficamos extremamente felizes com a conquista”, disse Carlos Sousa.

O proprietário da Startup Manaós Tech, que treinou os jovens estudantes que participaram do ‘Desafio Secop 2016’, disse que ver muita relevância do projeto Siprom, visto que temos índices muito altos de acidentes fatais que poderiam ser evitados com um rápido atendimento. “Há o que se amadurecer, mas certamente tem viabilidade comercial e social. Imaginamos que pode ser até um opcional quando o motorista for fazer seu seguro, por exemplo”, enfatizou.

Evento movimentado

Mais de 800 pessoas participaram do Secop 2016, que durante três dias movimentou Manaus com 39 palestras técnicas, duas palestras magnas, dois painéis, três reuniões técnicas de grupos de trabalho da Abep, entrega dos prêmios e-Gov e Desafio Secop, além da Feira de Negócios que promoveu um intercâmbio de novas tecnologias e gerou negociações no setor de TI.

Blog – Glauco Aguiar: empresário

“O projeto do ‘Desafio Secop 2016’ foi fomentado pela Abep (Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação) e executado pela minha Startup, a Manaós Tech. Nós fizemos as inscrições, entrevistas, organizamos e ministramos todo o treinamento para que os estudantes pudessem ter capacidade de produção dos projetos apresentados. A parceria foi feita para dar oportunidade aos jovens que amam tecnologia se tornarem protagonistas de suas vidas. O Secop é o maior seminário de Tecnologia da Informação e Comunicações para Gestão Pública do Brasil. Estavam presentes as maiores empresas e representantes dos governos neste setor do país. Apresentar e ser premiado nesse evento, além de receberem diversas propostas, é muito importante para a experiência pessoal e profissional desses alunos. Isso é bom para o nosso Estado também. Vi muitos investidores encantados com a capacidade de criação e execução que os nossos alunos têm. Ao todo, tivemos cinco equipes no desafio. Nossa startup acredita que a educação tecnológica é tão importante quanto a segunda língua, nos dias de hoje. Por isso, temos objetivo de fazer parcerias semelhantes com as secretarias de educação para que mais jovens possam ter tal oportunidade".

Número de acidentes com moto é alto

Os acidentes de trânsito envolvendo motocicletas estão entre as ocorrências que mais levam pacientes à cirurgia ortopédica nas unidades de urgência e emergência de Manaus. Em 2015, este tipo de acidente deixou mais de 2,4 mil vítimas lesionadas no Estado, além de provocar 93 mortes.

No Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, um dos maiores do Estado, são realizados, diariamente, em média 20 atendimentos a vítimas de acidentes com motocicleta, sendo que boa parte delas resulta em procedimentos cirúrgicos. Para se ter uma ideia do impacto, as cirurgias ortopédicas já representam 35% do total de procedimentos realizados na unidade e, destas, 70% são em consequência de acidentes com motocicletas.

Somente na primeira quinzena de fevereiro deste ano, dados mais recentes, foram realizadas 64 cirurgias ortopédicas eletivas (agendadas) no Hospital 28 de Agosto (sem contar os procedimentos de urgência).

O número de acidentes acompanha o crescimento da frota. De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), entre 2009 e 2015, a frota de motocicleta praticamente dobrou no Estado, saindo de 88.099 para aproximadamente 175 mil veículos. Só no ano de 2015, com relação a 2014, o crescimento foi de quase 10%.


Fonte: Acritica.com